| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

PARA ALÉM DA GRANDE MÍDIA
Desde: 10/01/2017      Publicadas: 60      Atualização: 12/09/2017

Capa |  Ciência e Educação  |  Cultura  |  Economia  |  Justiça  |  Ligeirinhas  |  Literatura  |  MÊS DE MARÇO, MÊS DA MULHER  |  Política  |  Religião  |  Sociedade


 Política

  05/08/2017
  0 comentário(s)


JOGO DOS BOLSONAROS E A RELAÇÃO COM TEMER

Deputados como Jair Bolsonaro fazem jogo duplo, colaboram discretamente com o governo Temer ao mesmo tempo que fazem pose de moralistas para seus eleitores.

JOGO DOS BOLSONAROS E A RELAÇÃO COM TEMER


Tudo o que acusaram de que a Dilma poderia fazer ou poderia fazer para salvar o mandato, o Temer o fez de maneira escrachada e sem limites. Por esta simples comparação vê-se que o governo Dilma tinha muito mais limites éticos do que o governo Temer. Obviamente devia haver liberação de emendas, cargos etc. Mas nada neste nível. Vale lembrar que o governo Dilma e o PT se negaram a salvar Eduardo Cunha, mesmo sabendo que isto significaria o impeachment da Dilma.


Temer, por outro lado, liberou as emendas parlamentares de uma hora para outra coincidindo com a votação de forma tão abrupta que não se pode negar o componente político. Também espertamente liberou verba para oposição para tentar mascarar a compra de votos. Ministros voltando a condição de parlamentar, abertamente prometiam poucos minutos antes da votação liberação de emendas parlamentares em troca de votos com planilhas na mão. Lobistas, que sequer eram parlamentares, estiveram também presentes no plenário. Deputados faziam fila para venderem os votos.


Fez-se reunião com a bancada ruralista que em peso votou com Temer e este prometeu a eles perdão de dívida. Anistia que pode chegar a R$ 10 bilhões da previdência que diz o governo estar quebrada. Temer também perdoou dívidas de empresas ligadas aos deputados.


Mas o que me impressionou foi a sutileza da manipulação do quórum. A oposição sabia que ia perder, se houvesse votação. A única coisa que podia fazer é adiar a votação não dando quórum e teria a seguinte finalidade:


1 – Aumentar a probabilidade de Temer estar exposto a novas denúncias.

 

2 – Expor a fraqueza na base de apoio de Temer e motivar o movimento de manada contra o Temer.


Portanto, quem realmente queria que o Temer fosse denunciado, tinha interesse em não dar quórum e só votaria contra o Temer se o quórum fosse alcançado.

 

Para dar quórum, Temer precisaria de 342 deputados presentes. Se os 227,  que votaram contra o arquivamento, saíssem do plenário, sobraria 286 deputados. Assim pelo menos 56 deputados, que votaram contra, deram quórum, mesmo sabendo que o interesse é não dar este quórum. Fizeram portanto jogo duplo.


Esta sutileza do jogo duplo poucas pessoas perceberam, porque é sofisticada, mentes simplórias não conseguem entender. Tem que se ler e entender Maquiavel para se entender a cabeça de um político ou ter alguma experiência nisso para perceber. A POLÍTICA É A ARTE DA DISSIMULAÇÃO.


Carlos Marum expôs a tática e falou mais ou menos isto: “Se você quiser votar com o Temer, pelo menos compareça para votar para dar quórum”. É algo parecido com o ditado: “Fale mal de mim, mas fale”, adaptando para este contexto: “vote contra mim, mas vote”.


Então haveria dois tipos de aliados de Temer:


1 – Os que estão com o Temer a qualquer custo, mesmo se expondo para a grande mídia. Estive conversando com uma amiga (o nome dela é Filó) e ela me disse que provavelmente são deputados do interior que estão mais preocupado em mostrar serviço para seus eleitores através do clientelismo, leia-se emendas parlamentares. São aqueles que deram quórum e votaram a favor de Temer. Provavelmente cobram mais caro pelo serviço, dependerá também o valor do parlamentar da importância deste.


2 – Os que são aliados do Temer, mas não querem se expor e precisam dar satisfação ao seu público. Seriam como disse Filó, pessoas com maior ambição política e talvez de grandes cidades. Fariam tudo por Temer, desde que não sejam muito expostos. Provavelmente é o caso da maior parte ou todos os 56 parlamentares que deram quórum. A conversa deve ter sido neste nível: “Sei que não pode se expor a ponto de votar com a gente, pelo menos dê quórum”.


Pelo menos dois parlamentares sabemos que fez este jogo duplo: Bolsonaro pai e filho, eles deram quórum e estão neste caso. Vamos ver se encontramos gente de esquerda (não se iludam sempre existe alguém da esquerda disposto a se vender a quem der mais) que tenha feita também este jogo. Mas, por enquanto, vamos observar o joguinho dos Bolsonaro.


A tática dos Bolsonaro é jogar para torcida. E fazem o seguinte:


1 – Causar polêmica - Polemizar para estarem sempre na mídia, ofendendo alguém ou ideologia de esquerda ou ofendendo alguém ou ideologia de costumes liberais. É a tática igual a de Trump. Um caso típico foi o caso da ofensa em relação a Maria do Rosário: “Eu não lhe estrupo, porque você não merece”. Viu que isso fez polêmica, fez rir seu eleitor que não gosta da Maria do Rosário (e em muitos casos querem que ela morra). Os “bolsonetes” não se importaram com a análise literal da frase e defendem a intenção do Bolsonaro. E qual é a intenção real do Bolsonaro? Aparecer na mídia, mesmo que a mensagem em termos literais seja uma apologia ao estupro. Se eu for um deputado e quiser aparecer, eu posso dizer em público: “Eu não distribuo cocaína na sua igreja (evangélica), porque teria que entrar na sua igreja”, estaria fazendo uma apologia ao crime, mesmo que a minha intenção fosse tão somente polemizar e aparecer na mídia. E perde o caráter de rompante emocional se eu repetir a frase dias depois. Se meu público alvo for quem é favor das drogas ou quem não ligue para declarações deste tipo ou quem odeia evangélicos, talvez eu ganhe pontos. E poderia fazer isto com facilidade se eu tivesse a certeza de que não seria punido. Mas tenha na cabeça, fazer apologia ao crime, mesmo que a intenção seja apenas polemizar é CRIME.


Bolsonaro fez outras apologias criminosas, quando fez apologia à sonegação (confessando-a inclusive) (1), tortura e torturadores, assassinato, fechamento do congresso, ditadura... então qualquer polêmica é válida desde que ofenda seus desafetos e tenha condescendência de seus admiradores. Não importa que seja apologia ao crime ou não, o importante é aparecer.


2 – Sinceridade - Ao agirem com agressividade, os Bolsonaro tentam passar a imagem de sinceridade. A população costuma associar sinceridade a honestidade. De fato, são agressivos, não escondem isto, porque além de polemizar, perceberam que isto lhes beneficia. Se no item 1, usam a tática de Trump, no item 2, usam também a de Ciro Gomes (sem colocar o político cearense no mesmo nível dos políticos de extrema direita)


3 – Jogo Duplo – Ao fazerem o jogo com o Temer, mantendo as aparências de moralidade junto aos seus eleitores. Os Bolsonaros derem quórum para o Temer e, ao mesmo tempo passaram para o seu público que votaram contra Temer. Não se vê de Jair Bolsonaro, por exemplo, fazer críticas contundentes ao presidente golpista como faz ao PT, ao contrário, sempre fala manso em relação ao Temer, quando critica, é de forma moderada ou em assuntos sem importância essencial como a imigração. Não por acaso, foi em determinado momento o deputado que recebeu mais verba de emenda parlamentar do governo Temer. Fala que vai votar contra a reforma da previdência um dia e depois de jantar com o Temer muda de opinião. Mesmo sabendo que Eduardo Cunha (talvez o maior da história) é um notório corrupto, parabeniza-o no voto do Impeachment da Dilma.


4 – O Falso Patriotismo e o uso do Medo - Bolsonaro precisa passar a imagem de patriotismo. Normalmente o militar já passa esta imagem. Os Bolsonaros não costumam atacar questões cruciais da soberania do Brasil como a base de Alcântara, o aluguel do satélite para os EUA, a permissão de venda de terras para estrangeiros, o treinamento de militares americanos na Amazônia, venda de poços de exploração de petróleo a estrangeiro, a destruição das empresas nacionais na Lava-jato e todas as questões relacionadas aos EUA. Em vez disso, preferem se concentrar em questões assessórias ou medos fictícios como na paranoia do comunismo (que não existe mais, o mundo é dominado pelo dinheiro que traz poder, comunismo não é ligado ao dinheiro), Cuba (que tenta fazer a transição para o capitalismo), Venezuela (que está falido e que nunca abandonou o capitalismo) e a xenofobia, como se a imigração estrangeira ínfima para o Brasil fosse o maior dos nossos problemas.


Se você que é bolsonarista e não fica com a pulga atrás da orelha depois do desnudamento do jogo dos Bolsonaros é porque você é cego “e o pior cego é o que não quer ver”. É um jogo sem escrúpulo, uma hora você vai perceber como de fato os Bolsonaros agem e saber de coisas muito piores vindos deles, espero que não seja tarde demais. Mas enquanto você estiver mergulhado no modismo e na paixão, terá a mesma cegueira que os eleitores do PT do passado tiveram quando imaginavam que o partido não tinha corrupção. Abra o olho.


  • - A população não consegue associar a sonegação a corrupção. Porque muita gente pensa que é melhor sonegar que deixar para o governo e alguém lá dentro roubar. É uma lógica tosca. Em todos os países do mundo a sonegação é considerada uma corrupção grave, pois em termos contábeis sonegar R$ 1000,00 tem o mesmo efeito para orçamento que furtar R$ 1000,00 do Estado. Se todos sonegarem, não haverá nem saúde e nem educação para ninguém. É curioso que até funcionários públicos pregam a sonegação, desde que não falte dinheiro para os salários deles.
  Autor:   Gustavo Adolfo Medeiros


  Mais notícias da seção Artigo no caderno Política
13/06/2017 - Artigo - TEMER VAI CAIR?
Temer cair é uma certeza para muita gente... mas a coisa não é tão simples quanto parece......
01/06/2017 - Artigo - Por que a Globo resolveu detonar o governo Temer?
Muitos analistas têm tentado responder a pergunta do título com suas hipóteses. Poderia falar das hipóteses dos outros, mas prefiro dizer as minhas.  ...
27/05/2017 - Artigo - A todos que puderem andar
"O preço da liberdade é a eterna vigilância" " Thomas Jefferson...
13/05/2017 - Artigo - O CONSERVADORISMO E O BIFE ESTRAGADO
Por Anibal Lobão:"Algumas palavras sobre ser pobre e ser de direita no Brasil..."...
28/04/2017 - Artigo - DOIS EXEMPLOS DE LEIS TRABLHISTAS QUE, NA PRÁTICA, SÃO MAIS PATRONAIS QUE TRABLHISTAS... E SÃO O RETRATO DE VÁRIAS DELAS...
Por Anibal Lobão: "Até que ponto as leis que pensávamos frutuosas para os trabalhadores realmente são? Duas delas, que tenho como retrato de muitas, mostram que, na prática, não são tão eficientes assim, conforme exponho no texto"....
26/04/2017 - Artigo - DIREITOS ROUBADOS
Por Rayane Souza, dezesseis anos, aluna do terceiro ano do ensino médio da Escola Venâncio Pereira Velloso, em Duque de Caxias-RJ, sobre o projeto de lei que trata da terceirização para qualquer tipo de atividade trabalhista. ...
13/04/2017 - Artigo - COMO FUNCIONA A CORRUPÇÃO POLÍTICA NO BRASIL
O artigo tenta detalhar as principais modalidades de corrupção feita aqui no Brasil....
15/01/2017 - Artigo - SOBRE O AUMENTO NAS TARIFAS DOS ÔNIBUS AUTORIZADO PELOS PREFEITOS DA BAIXADA FLUMINENSE-RJ: REGULAÇÃO, LIVRE CONCORRÊNCIA, OU OS DOIS?
Por Anibal Lobão: "Toda liberdade necessita de regulamentações, para que ela, a liberdade, possa ser preservada."...
13/01/2017 - Artigo - NOSSA GRANDE MÍDIA MANIPULA OU NÃO NOSSO POVO?
Por Anibal Lobão: "as redes sociais hoje configuram-se na melhor fonte de informações que o cidadão brasileiro pode ter, não somente por mostrarem o outro lado, aquele lado que sistematicamente a grande mídia se nega a expor por motivos óbvios, ou seja, o contraditório, mas porque permite acesso também a todos os lados possíveis, o que é tão import...



Capa |  Ciência e Educação  |  Cultura  |  Economia  |  Justiça  |  Ligeirinhas  |  Literatura  |  MÊS DE MARÇO, MÊS DA MULHER  |  Política  |  Religião  |  Sociedade
Busca em

  
60 Notícias